Navegação rápida por teclas de atalho.

Há 3 teclas de atalho codificadas em todas as páginas, as quais permitem saltar directamente para um dos 3 elementos seguintes. Caso o elemento não exista na página a tecla de atalho não estará disponível.

Corpo da página (ALT + 2)
Medicamentos - Biológicos
Article Index
Medicamentos
biológicos
Anti-Inflamatórios Não Esteroides (AINEs)
Riscos da Benefícios da Corticoterapia
Medicamentos Imunossupressores
Biologicos
All Pages
As doenças crónicas implicam normalmente a toma continuada de medicamentos. Eles são fundamentais no controle dos sintomas e evolução da doença, tendo objectivos diferentes e específicos e não estando isentos de provocarem efeitos adversos.

Como doente ou como responsável pela criança ou jovem doente é muito importante que conheça os medicamentos que toma, que saiba a que tipo pertencem e a que se destinam.

O tempo da sua identificação pela cor, forma ou horário ( o comprimido amarelo, comprido, que toma pela manhã...) tem de terminar. Só conhecendo bem a nossa medicação, pelos nomes correctos ,sabendo a que se destinam e até como funcionam, podemos perceber a sua eficácia, o porquê de serem tomados desta ou de outra forma, neste ou noutro horário.

Só assim poderemos comunicar melhor com o médico que os prescreveu e com todos os outros especialistas que seja necessário consultar.

Com o passar do tempo, nomeadamente se o doente é uma criança, haverá mudanças de medicação por efeitos adversos, por ineficácia ou pela simples evolução da doença.

O registo escrito continuado por parte dos próprios, dessas alterações, pode ser um instrumento fundamental para os clínicos, para os pais e mais tarde para os próprios doentes que terão sempre ao dispor elementos que podem ser extremamente pertinentes na evolução/controle da doença.

Os tipos de medicamentos abordados nesta rubrica são os mais utilizados no tratamentos das doenças reumáticas infantis e juvenis.

Conheça-os e se tiver mais dúvidas, esclareça-as junto do seu reumatologista e/ou desta associação.

Só doentes/pais informados podem ser participantes activos na procura das melhores soluções para a evolução positiva da doença!